Duvida – Nova regra !

 

Bom dia Jordy, td bem??
cara, andei vendo isso para um cliente, no inicio do ano, e até onde entendi dessa medida ela afeta a contabilização de Arrendamentos. 
Veja o material que estou enviando em anexo, talvez ajude.
Abs.

Atenciosamente

Luiz Claudio Senna
Consultor Oracle E-Business Suite

GL / SLA / FA / AP / RI / CASH / Property
55 21 99483-4055

Em qua, 31 de out de 2018 às 11:19, Renato Alves – Jordy jordy2006@gmail.com <@..com> escreveu:

 

Senhores, bom dia !

 

Existe uma nova regra contábil para aluguéis, esta regra entra em vigor em 2019. Pelo que entendi tem uma lei para tratar aluguel como um arrendamento mercantil.

(As referências sobre o assunto são: CPC06 E IFRS16)

A pergunta é:

Alguém esta passando por esta situação com seu cliente ?

 

 Conforme referencia abaixo:

aprovada em 2017

entra em vigor 01-01-19

TERMO DE APROVAÇÃO

PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 06 (R2)

OPERAÇÕES DE ARRENDAMENTO MERCANTIL

A Coordenadoria Técnica do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) torna pública a aprovação pelos membros do CPC, de acordo com as disposições da Resolução CFC n.º 1.055/05 e alterações posteriores, do PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 06 (R2) – OPERAÇÕES DE ARRENDAMENTO MERCANTIL. O Pronunciamento foi elaborado a partir do IFRS 16 – Leases, emitido pelo International Accounting Standards Board (IASB) e sua aplicação, no julgamento do Comitê, produz reflexos contábeis que estão em conformidade com o documento editado pelo IASB.

A aprovação do PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 06 (R2) – OPERAÇÕES DE ARRENDAMENTO MERCANTIL pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis está registrada na Ata da 133ª Reunião Ordinária do Comitê de Pronunciamentos Contábeis, realizada no dia 6 de outubro de 2017.

O Comitê recomenda que o Pronunciamento seja referendado pelas entidades reguladoras brasileiras visando sua adoção.

Brasília, 6 de outubro de 2017.

=================================

Objetivo

1. Este pronunciamento estabelece os princípios para o reconhecimento, mensuração, apresentação e divulgação de arrendamentos. O objetivo é garantir que arrendatários e arrendadores forneçam informações relevantes, de modo que representem fielmente essas transações. Essas informações fornecem a base para que usuários de demonstrações contábeis avaliem o efeito que os arrendamentos têm sobre a posição financeira, o desempenho financeiro e os fluxos de caixa da entidade.

========================

Alcance

3. A entidade deve aplicar este pronunciamento a todos os arrendamentos, incluindo arrendamentos de ativos de direito de uso em subarrendamento, exceto para:

(a) arrendamentos para explorar ou usar minerais, petróleo, gás natural e recursos não renováveis similares;

(b) arrendamentos de ativos biológicos dentro do alcance do CPC 29 – Ativo Biológico e Produto Agrícola mantidos por arrendatário;

(c) acordos de concessão de serviço dentro do alcance da ICPC 01 – Contratos de Concessão;

(d) licenças de propriedade intelectual concedidas por arrendador dentro do alcance do CPC 47 – Receita de Contrato com Cliente; e

(e) direitos detidos por arrendatário previstos em contratos de licenciamento dentro do alcance do CPC 04 – Ativo Intangível para itens como: filmes, gravações de vídeo, reproduções, manuscritos, patentes e direitos autorais.

olha aqui

http://www.cpc.org.br/CPC/Documentos-Emitidos/Pronunciamentos/Pronunciamento?Id=37

CPC 06 (R2) – Operações de Arrendamento Mercantil

Atenciosamente



Renato Alves (Jordy)

Consultor Oracle GL/AP/FA

Cel.: (31) 9 9494-9512

jordy2006@gmail..com

Skype:jordy2006sp

Deixe uma resposta

Pular para a barra de ferramentas